Primeiro dia das provas do Enem tem 30 de abstenção

Dos mais de 6,7 milhões de candidatos inscritos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano, pelo menos 30% dos candidatos compareceram ao primeiro dia de provas. Não há dúvidas de que esse é o maior índice de abstenção do exame desde a edição de 2009, onde foram registradas pelo menos 37,7% de ausência nas provas.

Ao todo, pelo menos 273 pessoas foram eliminadas no primeiro dia, sendo que 264 pessoas foram excluídas do processo devido a um descumprimento de regras gerais do edital, e nove delas por terem algum tipo de equipamento identificado por detectores de metal na entrada das escolas para realizar as provas.

No ano de 2016 o exame contou com 3.942 eliminações ao final do primeiro dia, e mais de 4,7 mil eliminações no segundo dia.

Não houve a identificação de nenhum caso de candidatos que utilizavam ponto eletrônico, somente uma pessoa que estava utilizando fone de ouvido durante as provas e foi desclassificada. A partir disto, a própria divulgação de que estamos utilizando os equipamentos que identificam a utilização de transmissores deverá inibir os malfeitores que tentarem ir ao caminho desta fraude.

Neste ano, pela primeira vez foram utilizados detectores que identificavam o ponto eletrônico.

Foi identificado ainda pelo Inep pelo menos dois casos de pessoas que saíram do local das provas antes do horário, e estas forma eliminadas. Além disto, um candidato foi identificado com um cigarro de maconha no bolso, mas pode concluir a prova.

Pelo menos duas turmas não conseguiram concluir as provas por falta de energia, uma delas na cidade de Teresina no Piauí, e outra em Uruaçu, interior do estado de Minas Gerais. Estes alunos acabaram tendo de refazer as provas em dezembro, e de acordo com o Inep não serão prejudicados na realização deste processo.

Conforme o Inep, os participantes isentos de pagamento de taxa, que não compareceram no processo, e deixaram de justificar de forma oficial essa ausência do sistema de inscrição do Enem, deverá perder o direito de uma nova isenção para participar do processo.

O MEC não recorreu a decisão judicial que proibia a atribuição de nota zero nas redações que desrespeitassem os direitos humanos do Enem, e que isto foi exclusivamente para dar uma boa tranquilidade para os candidatos. A preocupação toda está envolvida em assegurar a tranquilidade, já que o próprio clima da discussão, relacionada a que tese poderia prevalecer ensejaria dúvidas na cabeça dos candidatos, e isso não seria algo positivo para os participantes. Por isso não havia tempo para que ocorresse uma reversão de entendimento.

Mesmo que uma decisão fosse tomada de forma contrária, o que irá valer para este ano é a decisão judicial tomada em vigor. Não existe um sentido de se ter uma decisão judicial se ela caísse mais adiante, além disto, retroagir para prejudicar as pessoas que tiveram o entendimento deferido a partir de uma decisão judicial que é válida e que todos devem respeitar.

Este 5/11 foi o primeiro dia do Enem que contou com provas de redação, bem como linguagens, e ciências humanas com este novo formato. O segundo dia de realização das provas deverá ocorrer no dia 12 de novembro, contando com questões de matemática e ciências da natureza.

O ano de 2017 foi marcado como o primeiro ano onde o Enem foi realizado em dois domingos consecutivos, até o ano passado, as provas deste processo foram realizadas em apenas um final de semana, no sábado e no domingo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *